Tendo sido considerado um dos seis trilhos costeiros mais bonitos do mundo pela renomada revista de turismo Condé Nast Traveler, a Rota Vicentina prepara uma nova fase de expansão.

Turismo Cultural, Trilhos de BTT e Turismo Acessível são apenas alguns dos projectos que esta associação sem fins lucrativos tem previstos para os próximos dois anos.

Em complemento aos trilhos pedestres e a actividades de natureza mais desportivas e de contacto com a natureza, serão associados à actual oferta da Rota Vicentina produtos turísticos de índole cultural e também artística – que valorizem o medronho, a cortiça, a pesca, entre outros aspectos identitários do Sudoeste de Portugal – e será também desenvolvida uma estratégia de promoção da utilização dos trilhos por turistas com necessidades especiais, com vista abranger o turismo acessível.

No que diz respeito à prática de BTT, está previsto o lançamento de um traçado de 1.200 quilómetros no Concelho de Odemira, o que resultará numa rede integrada de percursos pedestres e cicláveis na região.

Também os trilhos pedestres serão alvo de um forte investimento, sendo que dos 450 existentes, a Rota Vicentina crescerá para 750 quilómetros, em grande medida assente na criação de pequenos percursos circulares.

Paralelamente ao desenvolvimento destes novos produtos, será ainda lançada uma ambiciosa campanha de promoção internacional da região e do seu Património Natural e Cultural através da dinamização de workshops e apresentações em eventos internacionais, e da produção e disseminação de diversos materiais promocionais, com especial destaque para um novo vídeo e uma aplicação mobile.

Também a promoção assentará nos objectivos definidos para esta nova fase da Rota Vicentina, nomeadamente na diversificação da oferta e dos mercados, com o estímulo a

novas formas e motivações de consumo, e sensibilização para as questões do património e identidade da região, gerando valor associado a estes mesmos elementos.

Este processo de expansão está integrado num investimento estratégico ao abrigo do Programa Portugal 2020, financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Conta também com o apoio dos seis Municípios que a Rota Vicentina atravessa, ou seja, Sines, Santiago do Cacém, Odemira, Aljezur, Vila do Bispo e Lagos, assim como do Turismo de Portugal, da Região de Turismo do Algarve (ERT Algarve), da Região de Turismo do Alentejo (ERT Alentejo) e da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo (ARPTA).

Complete a informação ou comente!

*